Programação:
Home Blog Page 3

Palmeiras goleia o Inter e se classifica à final do Brasileirão Feminino A1

0
Comemoração do Palmeiras no Brasileiro Feminino (Foto: Fabio Menotti/Palmeiras)

Rafael Passos

Palestrinas fizeram 5 a 1 no placar agregado e agora aguardam o vencedor do confronto entre Corinthians e Ferroviária

🏆 Brasileiro Feminino A1 🏆

O Palmeiras é o primeiro finalista do Brasileiro Feminino A1. Na manhã deste domingo (5), as Palestrinas venceram as Gurias Coloradas por 4 a 1, no Allianz Parque, em São Paulo, pelo jogo de volta da semifinal. Os gols alviverdes foram marcados por Chú, duas vezes, Maria Alves e Katrine. Mileninha descontou para as coloradas.

Na história do time feminino do Palmeiras, é a segunda vez que a equipe vai à final do principal torneio do calendário do futebol feminino. A conquista da vaga significa também uma classificação inédita para a Libertadores Feminina, em 2022. Na final, as Palestrinas esperam a definição do duelo entre Corinthians e Ferroviária, que jogam na noite deste domingo, às 20h, na Arena Barueri. Na ida, aa Brabas venceram as Guerreiras Grenás por 3 a 1.

As Gurias Coloradas encerram o Brasileirão Feminino com a melhor campanha da história do Rio Grande do Sul no campeonato. Semifinalista de maneira inédita, as Alvirrubras garantiram vaga na Supercopa do Brasil, que será disputada pela primeira vez na próxima temporada.

Após finalizar a participação no Brasileirão, as Coloradas passam a focar na disputa do Gauchão Feminino 2021. A estreia está marcada para o dia 19 de setembro, diante do Juventude, fora de casa.

Agora, o Palmeiras espera o vencedor de Corinthians e Ferroviária (Foto: Fabio Menotti/Palmeiras)
Foto: Rebeca Reis & Cristiane Mattos/Staff Images/ CBF
Comemoração do Palmeiras no Brasileiro Feminino (Foto: Fabio Menotti/Palmeiras)
Chú foi o destaque do jogo com dois gols marcados (Foto: Fabio Menotti/Palmeiras)
Foto: Rebeca Reis & Cristiane Mattos/Staff Images/ CBF

Ficha técnica:
Palmeiras 4 x 1 Internacional
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP).
Árbitra: Charly Wendy Straub Deretti(FIFA-SC).
Assistentes: Gizeli Casaril (SC) e Deise Genoefa Bellaver (SC).
Quarta Árbitra: Adeli Mara Monteiro (SP).
Árbitro de Vídeo:Rodrigo Dalonso Ferreira (VAR-FIFA-SC)
AVAR: Thiaggo Americano Labes (SC).
Gols: Chú, aos 6’ 1ºT e 30 2ºT, Maria Alves, aos 23’ 2ºT, e Katrine, aos 37’ 2ºT (PAL); Mileninha, aos 13’ 2ºT (INT).
Cartões amarelos: Carol Baiana (P); Isa Haas (INT).
Cartão vermelho: Sorriso (INT).

Palmeiras: Jully: Bruna Calderan, Agustina, Thais, Katrine, Camilinha (Rafa Andrade), Julia Bianchi (Tainara), Duda Santos (Dandara), Maria Alves, Carol Baiana e Chú (Ottilia). Técnico: Ricardo Belli.

Internacional: Vivi; Leidi, Bruna Benites, Sorriso e Ari (Thessa); Mari Pires (Mileninha), Djeni, Isa Haas e Shashá (Duda Flores); Ximena (Fabi Simões) e Wendy (Maranhão). Técnico: Maurício Salgado.

Brasil vence a Argentina e conquista o penta no futebol de 5 nas Paralimpíadas

0
Seleção Brasileira de Futebol de 5 conquistou o pentacampeonato paralímpico (Imagem: Alê Cabral/CPB)

Rafael Passos

O camisa 8, Nonato marcou um golaço no segundo tempo e decretou a vitória brasileira

Todo o mundo tenta, mas só o Brasil é penta. E tem mais, continua sendo o único campeão paralímpico do futebol de 5 e continua invicto. No jogo que começou às 5h30min (horário de Brasília) deste sábado (4), no Aomi Urban Sports Park, em Tóquio, a seleção brasileira a venceu Argentina por 1 a 0, na final, graças a um golaço de Nonato, no segundo tempo, e conquistou a medalha de ouro pela quinta vez. O camisa 8, que joga na AGAFUC, de Canoas (RS), foi o artilheiro da equipe na competição, com seis gols.

O gol do Brasil saiu a 7min14s do fim do jogo. Nonato driblou o time inteiro da Argentina e bateu de esquerda no alto para marcar um golaço, abrindo o placar.

Fase de classificação

Resultados da 1ª rodada do Grupo A:

Brasil 3 x 0 China
Nonato (2x)
Cássio Reis

Japão 3 x 0 França
Kawamura (2x)
Kuroda

Resultados da 2ª rodada do Grupo A:

Brasil 4 x 0 Japão
Ricardinho (2x)
Nonato
Tiago Paraná

China 1×0 França
Zhu

Resultados da 3ª rodada do Grupo A:

França 0 x 4 Brasil
Jardiel (2x)
Nonato

Japão 0 x 2 China
Zhu (2x)

Resultados da 1ª rodada do Grupo B:

Argentina 2 x 1 Marrocos
Maximiliano Espinillo (2x) (ARG)
Snisla Zouhair (MAR)

Espanha 1 x 0 Tailândia
Martín Gaitán

Resultados da 2ª rodada do Grupo B:

Tailânda 0 x 2 Marrocos
Snisla Zouhair (2x)

Espanha 0 x 2 Argentina
Maximiliano Espinillo (2x)

Resultados da 3ª rodada do Grupo B:

Argentina 3 x 0 Tailânda
Nicolás Veliz
Ángel Deldo García
Maximiliano Espinillo

Marrocos 1 x 1 Espanha
Zouhair Snisla (MAR)
Antonio Martín Gaitán (ESP)

Semifinais

Brasil 1 x 0 Marrocos
Inad Berka (contra)

China 0 x 2 Argentina
Maximiliano Espinillo (2x)

Decisão Medalha de Bronze
China 0x4 Marrocos
Zouhair Snisla (4x)

Decisão Medalha de Ouro
Argentina 0x1 Brasil
Nonato

Artilheiros do Brasil:
Nonato – 7 gols
Ricardinho – 2 gols
Jardiel – 2 gols
Tiago Paraná – 1 gol
Cássio Reis – 1 gol

Nonato chuta para marcar o gol do título (Imagem: Alê Cabral/CPB)
Nonato show comemora o gol com o chamador brasileiro Edson Gomes Junior (Imagem: Alê Cabral/CPB)
Raimundo Nontato marcou sete gols no torneio e foi o chuteira de bronze (Imagem: Alê Cabral/CPB)
Notato e Tiago Paraná celebram o título dp Brasil (Imagem: Alê Cabral/CPB)
Titulares, reservas e comissão técnica comemoram a medalha de ouro (Imagem: Alê Cabral/CPB)

Na disputa da medalha de bronze em Tóquio, o Marrocos, que havia perdido para o Brasil na semifinal, ganhou a China por 4 a 0 e assegurou lugar no pódio.

A conquista do futebol de 5 deu ao país seu 22º ouro geral no Japão, superando por um o recorde que havia sido estabelecido em Londres 2012 (21).

Esta é a quinta medalha de ouro brasileira na modalidade. Desde que o futebol de 5 passou a fazer parte do programa paralímpico, em Atenas 2004, o Brasil sempre foi campeão e nunca perdeu sequer uma partida. Agora, são 27 jogos da seleção, em cinco edições paralímpicas, com 21 vitórias e seis empates. Em Tóquio, em cinco jogos, foram 13 gols marcados e nenhum sofrido.

O clássico sul-americano reeditou a final dos Jogos Paralímpicos de 2004, em Atenas, na primeira edição do torneio de futebol de 5 nas Paralimpíadas. Na decisão, Brasil e Argentina foram para a disputa de pênaltis, onde a seleção verde e amarela venceu e conquistou seu primeiro ouro. Nas três edições seguintes da categoria só deu Brasil: Pequim 2008, Londres 2012 e Rio de Janeiro 2016.

Em Pequim, o título veio sobre a China, por 2 a 1. O tri foi garantido em Londres 2012 com um triunfo sobre a França por 2 a 0. Na Rio 2016, a vítima da vez foi o Irã, que foi batido na final por 1 a 0.

Vantagem contra a Argentina

Com a vitória deste sábado, a seleção aumentou seu retrospecto favorável diante da rival sul-americana. Nas 21 decisões disputadas entre as duas equipes, o time verde e amarelo levou a melhor em 18 oportunidades, foi vice no Mundial 2006 e na Copa América de 2005 e de 2017. Foram 56 gols a favor e 17 contra em 54 partidas entre os dois selecionados.

Ficha Técnica:
Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 – Futebol de 5 – Decisão Medalha de Ouro
Argentina 0x1 Brasil
Local: Aomi Urban Sports Park, em Tóquio (Japão).
Árbitro: François Carcouët (FRA).
2° Árbitro: Tom de Bruyne (BEL).
3° Árbitro: Kazuo Takagi (JAP).
Timekeeper: Yuta Suzuki (JAP).
Scorer: Toyohiro Yoshida (JAN).
Gol: Nonato, aos 33´.

Argentina
Titulares:
1 – Dario Lencina (GK)
2– Ángel Deldo Garcia
3 – Federico Accardi
4 – Froilan Padilla
15 – Maximiliano Espinillo

Substitutos:
1 – Germán Mulek (GK)
8 – Marcelo Panizza
10 – Brian Pereyra
11 – Nicolás Veliz
14 – Nahuel Heredia

Guia (chamador): Germán Márquez
Técnico: Martin Demonte

Brasil
Titulares:
1 – Luan
7 – Jefinho
8 – Nonato
9 – Tiago Paraná
10 – Ricardinho

Substitutos:
12 – Matheus (GK)
4 – Damião
5 – Cássio Reis
6 – Jardiel
11 – Guegueu

Guia (chamador): Edson Gomes Marinho Junior
Técnico: Fábio Ribeiro de Vasconcelos

Saiba mais sobre o futebol de 5

O futebol de 5 é exclusivo para cegos ou deficientes visuais. As partidas, normalmente, são em uma quadra de futsal adaptada, porém, desde os Jogos Paralímpicos de Atenas 2004, também têm sido praticadas em campos de grama sintética. O goleiro tem visão total e não pode ter participado de competições oficiais da Fifa nos últimos cinco anos.

Junto às linhas laterais, são colocadas bandas que impedem que a bola saia do campo. Cada time é formado por cinco jogadores (um goleiro e quatro na linha). Diferentemente de um estádio convencional de futebol, as partidas de futebol de 5 são silenciosas, em locais sem eco. O jogo tem dois tempos de 25 minutos e intervalo de 10.

A bola tem guizos internos para que os atletas consigam localizá-la. A torcida só pode se manifestar na hora do gol. Os jogadores usam uma venda nos olhos e, se tocá-la, cometerão uma falta. Com cinco infrações, o atleta é expulso de campo e pode ser substituído por outro jogador. Há, ainda, um guia (chamador) que fica atrás do gol adversário para orientar os atletas so seu time. Ele diz onde os jogadores devem se posicionar em campo e para onde devem chutar. O técnico e o goleiro também auxiliam em quadra.

Campeonato Gaúcho 2021 – Série A2 – 6ª rodada

0

Rafael Passos

Grupo A

Quarta-feira, 1/9

Alberto Carlos Schwingel – Igrejinha – 15h
Igrejinha 2 x 3 União Frederiquense
Teixeira 34′ 1°T (IGR)
Marcus 7′ 2°T (IGR)
Joãozinho 27′ 1°T (UF)
Eliomar 32′ 1°T (UF)
Irapuan 11′ 2°T (UF)

Foto: Matheus Pé/FGF

União Frederiquense: Luís Cetin; Lessa, Talis, Geninho, Rômulo; Júlio César, Marquinhos, Joãozinho, Eliomar, Tony Júnior, Irapuan. Técnico: Daniel Franco.

Igrejinha: Régis, Marcus, Alex, Rafael Hasse, Jair, Lucas, Charles, Guilherme Teixeira, Ednei, Valdeflan, Batista. Técnico: Maurício Burzlaff.

Quinta-feira, 2/9

Antônio David Farina – Veranópolis – 11h
Veranópolis 2 x 2 Passo Fundo
Cleiton 36′ 1°T (VEC)
Biel 35′ 2°T (VEC)
Magno 10′ 1°T (PF)
Jonathan 46′ 2°T (PF)

Imagem: FGF TV/Reprodução

Veranópolis: Anderson; Vinicius Pedalada (Souza), Douglas, Cleiton e Edimilson; Elias, Dionathan (Henrique), Wallacer (Matheus), Carlinhos (Nicolas), Tom e Jr. Mandacaru (Biel). Técnico: Cristian Souza.

Passo Fundo: Lúcio; Maylon, Vagner, Murilo, Thiago, Magno, Adilson; Baiano, Túlio Renan, Obina e Mário Henrique. Técnico Julio César Nunes.

Altos da Glória – Vacaria – 15h
Glória 1 x 0 Cruzeiro
Lucas Lino 19′ 2T

Foto: Lenita Maraschin/Glória
Foto: Lenita Maraschin/Glória
Foto: Lenita Maraschin/Glória
Foto: Lenita Maraschin/Glória
Foto: Lenita Maraschin/Glória
Foto: Lenita Maraschin/Glória
Foto: Lenita Maraschin/Glória

Glória: Douglas Palagi; Azevedo, Junior Fell e Xandão; Johnnatan, Marcel, Bruno Cruz e Salib; Lucas Lino, Tcharles e Romário. Técnico: Leocir Dall’Astra.

Cruzeiro: Robinho; Fabricio, Carlão, Centeno e Anderson Pico; Bardete, Menezes, Gustavinho e Alex Junio; Iago e Wesley. Técnico: Fabiano Borba.

Estádio das Castanheiras – Farroupilha – 15h
Brasil de Farroupilha 4 x 0 Tupi
Wellington 24′ 1°T
Hiago 38′ 1°T
Souza 43′ 1°T
Gabriel Lagoa 21′ 2°T

Foto: Ramon Cardoso/Jornal Informante
Foto: Ramon Cardoso/Jornal Informante
Foto: Ramon Cardoso/Jornal Informante
Foto: Ramon Cardoso/Jornal Informante
Foto: Ramon Cardoso/Jornal Informante

Brasil: Walker, Hiago, Uendel, Souza, Pedro e Wellington (Ítalo), Matheus Paulista, Lúcio, Vitão (Taquara), Gean e Gabriel. Técnico: Alê Menezes.

Tupi: Rubão, Rodrigo Buiú (Cecel), Arthur Miranda, Júnior Gaúcho (Silvio Carrasco) e Digão; Dedê (Dudu), Jocenir, Renatinho, Thiaguinho e Gabriel Nereia (Queijinho); Renan (Amoroso). Técnico Leandro Machado.

Grupo B

Quinta-feira, 2/9

Estrela D´Alva – Bagé – 11h
Guarany 2 x 1 São Paulo
Murilo 17′ 1°T (GUA)
Welder 37′ 1°T (GUA)
Douglas 7′ 1°T (SP)

Foto: Sergio Galvani/Guarany

Guarany: Rafael Copetti, Raphinha, Diego Macedo, Diego Rocha e Murilo Xavier; David, Robert, Jorginho, Roger Bastos (Cristiano) e Wallan Luan (Café); Welder. Técnico: Badico.

São Paulo: Julio Cesar, Vareta, Emilio, Gabi e Christian; Ben-Hur (Urnau); Lucas (Henrique Rambo), Douglas Vargas (Diego Saraçol), Wagner e Luan; Matheus Guerreiro. Técnico: China Balbino.

Presidente Vargas – Santa Maria – 15h
Inter-SM 1 x 1 Bagé
Pedro Lima 39′ 2T (ISM)
Pablo 42′ 1T (BAG)

Foto: Renata Medina/Inter-SM

Inter-SM: Jota; Vinicius Bovi, Ricardo Thalheimer (Léo Santos), Pedro Lima e Felipe (Rogerinho); Fabrício Lusa, Eduardinho (Jeferson Prill), Wellisson (Wesley), Chiquinho e Lucas Santos (Rafael Mineiro); Kayron. Técnico: Sananduva

Bagé: Victor; Bruno Moura, Tairone, Gullithi e Cássio; Índio, Marlon Bica (Damasceno), Cris Magno (Negueba), Ramon (Guilherme) e Pablo (Benedito); Fischer (Baiano). Técnico: Fabiano Daitx.

Sexta-feira, 3/9

Arena Alviazul – Lajeado – 11h
Lajeadense 0 x 0 Avenida

Foto: Pamela Silva /EC Avenida

Lajeadense: Kevin; Marlon, Iago, Dadalt e Rafael; Renan,Júlio César, Luca Giovanella, Ariel (Erison), Ramon e Wendel. Técnico: Gelson Conte.

Avenida: Rodrigo; Moisés Baiano, Willian Gaúcho, Marcão e Geovane; Toto, Anderson Feijão (Luis Henrique), Laion (Alexandre); Dandan, Henrique Ávila (Lucas Lopes) e Vinícius. Técnico: Márcio Nunes.

Silvio de Faria Corrêa – São Gabriel – 15h
São Gabriel 2 x 1 Guarani-VA
Jean Roberto 13′ 1°T (SGA)
Elias Ceará 4′ 2°T (SGA)
Vinícius 25′ 2°T (GVA)

Foto: Marcelo Ribeiro Caderno 7
Foto: Marcelo Ribeiro Caderno 7

São Gabriel: Adrian Serpa; Eduardo, Luis Felipe, William Thuran e Iury Caíque; Leo Mancha, Elias Ceará, Fabiano Paulista, Jean Roberto e Fabiano Weege; Maike. Técnico: Carlos Moraes.

Guarani: Fabiano Heves; Ramon, Felipe Chaves. Léo Carioca e Xaro; Lucas, Gustavinho. Vinícius, Léo Gonçalves, Ruan e Nena. Técnico: Rodrigo Bandeira.

Artilharia

Brasil de Farroupilha
Gabriel Lagoa – 3 gols
Matheus Paulista – 2 gols
Wellington – 2 gols
Gean Correia – 1 gol
Alison – 1 gol
Hiago – 1 gol
Souza – 1 gol

Tupi
Júnior Gaúcho – 1 gol
Renan – 1 gol
Thiago – 1 gol

Veranópolis
Tom – 5 gols
Biel – 2 gols
Romário – 2 gols
Wallacer – 1 gol
Cleiton – 1 gol

União Frederiquense
Marquinhos – 2 gols
Tony Jr. – 2 gols
Eliomar – 2 gols
Gabriel – 1 gol
Joãozinho – 1 gol
Irapuan – 1 gol

Cruzeiro
Menezes – 5 gols
Wesley – 4 gols
Jadson 1 gol
Junior Gaúcho (contra/Tupi) – 1 gol

Passo Fundo
Túlio Renan – 2 gols
Magno – 1 gol
Jonathan – 1 gol

Glória
Lucas Lino – 3 gols
Romário – 2 gols
Ronaldinho Gramadense – 1 gol
Saldanha – 1 gol
Bruno Cruz – 1 gol

Igrejinha
Marcus – 2 gols
Alex – 1 gol
Teixeira – 1 gol
Jair – 1 gol

Inter-SM
Kayron – 2 gols
Chiquinho – 1 gol
Jeferson Prill – 1 gol
Pedro Lima – 1 gol

Guarany
Welder – 4 gols
Murilo – 2 gols
Jorginho – 2 gols
Maurício – 1 gol
Diego Rocha – 1 gol

Lajeadense
Ariel – 4 gols
Wendel – 2 gols
Ramon – 1 gol
Júlio César – 1 gol

Avenida
Dandan – 3 gols
Laion – 2 gols
Willian Gaúcho – 1 gol
Tito – 1 gol
Vinicius – 1 gol

São Paulo
Matheus Guerreiro – 3 gols
Douglas – 2 gols
Fernando Urnau – 2 gols
Vareta – 1 gol

Guarani-VA
Nena – 2 gols
Kevlin – 1 gol
Hugo – 1 gol
Thomaz – 1 gol
Vinicius – 1 gol

São Gabriel
Jean Roberto – 2 gols
Pepeto – 1 gol
Elias Ceará – 1 gol

Bagé
Pablo – 2 gols
Robert – 1 gol
Felipe Chaves (contra/Guarani-VA) – 1 gol

Brasil é campeão paralímpico no goalball masculino

0
Brasil recebe a tão sonhada medalha de ouro paralímpica no goalball (Crédito: Tokyo 2020 Paralympic Games/Reprodução)

Rafael Passos

Seleção brasileira atropelou a China 7 a 2 e conquistou o ouro inédito na modalidade em Tóquio

Após bater na trave duas vezes, enfim, a seleção masculina de goalball conseguiu conquistou a inédita medalha de ouro nas Paralimpíadas. Em Londres, em 2012, o Brasil ficou com a prata e no Rio de Janeiro, em 2016, com o bronze. Na manhã desta sexta-feira (3), os brasileiros bateram os chineses por 7 a 2,na Arena Makuhari Messe Hall, em Chiba, no Japão, e garantiram o lugar mais alto do pódio finalmente. Leomon e Parazinho, três vezes cada, e Romário marcaram os gols verde e amarelos. Mingyuan Yang, três vezes, anotou para os chineses.

O Brasil encerra os Jogos Paralímpicos com uma campanha quase perfeita. Foram seis vitórias e apenas uma derrota. A equipe sul-americana, que é a atual bicampeão mundial, agora unifica os títulos com o título paralímpico.

Campanha do Brasil no torneio paralímpico de goalball masculino, em Tóquio:

60 gols marcados
28 gols sofridos

Artilheiros
Parazinho – 26 gols (artilheiro da competição)
Leomon Moreno – 25 gols (terceiro artilheiro da competição)
Romário – 7 gols
Emerson – 1 gol
Alex Labrador – 1 gol

Fase de classificação – Grupo A

Dia 24/8 (terça-feira)
21h
Brasil 11 x 2 Lituânia

Dia 26/8 (quinta-feira)
1h15
Estados Unidos 8 x 6 Brasil

Dia 27/8 (sexta-feira)
8h30
Brasil 10 x 4 Argélia

Dia 28/8 (sábado)
21h
Japão 3 x 8 Brasil

Quartas de final

Dia 31/8 (terça-feira)
7h30 Brasil 9 x 4 Turquia

Semifinal

Dia 2/9 (quinta-feira)
5h45
Lituânia 5 x 9 Brasil

Final

Dia 3/9 (sexta-feira)
7h30
China 2 x 7 Brasil

Elenco da Seleção Brasileira masculina de goalball:

Alex Labrador: B2
Idade: 26
Posição: Ala

Emerson da Silva: B3
Idade: 22
Posição: Ala

José Roberto Oliveira: B1
Idade: 40
Posição: Pivô

Josemarcio Sousa (Parazinho): B3
Idade: 25
Posição: Ala

Leomon Moreno: B1
Idade: 28
Posição: Ala

Romário Marques: B1
Idade: 32
Posição: Ala

Comissão técnica:
Alessandro Tosim – Técnico
Diego Colletes – Auxiliar técnico
Rafael Losch – Fisioterapeuta
Altemir Trapp – Analista de desempenho
Alessandra Amorin – Psicóloga
Ketrin Lima – Nutricionista
Kelvin Gyulo Bakos – Coordenador de Seleções
Helena Vitória de Oliveira de Camargo – Médica

Festa do Brasil, medalha de ouro no goalball masculino em Tóquio (Foto: Alê Cabral/CPB)
Brasil finalmente subiu no lugar mais alto do pódio paralímpico (Crédito: Tokyo 2020 Paralympic Games/Reprodução)

Conheça o goalball:

O goalball é um esporte exclusivo para deficientes visuais. Criado em 1946 pelo austríaco Hans Lorenzen e pelo alemão Sepp Reindle para a reabilitação de veteranos da Segunda Guerra que acabaram ficando cegos durante o conflito, o goalball vai para sua 12ª edição de Paralimpíadas

A quadra tem as mesmas dimensões das de vôlei (9m de largura por 18m de comprimento). As partidas são realizadas em dois tempos de 12 minutos ( o cronômetro regressivo para quando a bola não está em jogo), com 3 minutos de intervalo. Cada equipe conta com três jogadores titulares e três reservas. De cada lado da quadra, há um gol com 9m de largura e 1,30m de altura. Os atletas são, ao mesmo tempo, arremessadores e defensores. O arremesso deve ser rasteiro ou tocar pelo menos uma vez nas áreas obrigatórias. O objetivo é balançar a rede adversária.

A bola tem um guizo em seu interior para que os jogadores saibam sua direção. O goalball é um esporte baseado nas percepções tátil e auditiva, por isso não pode haver barulho no ginásio durante a partida, exceto no momento entre o gol e o reinício do jogo e nas paradas oficiais. A bola tem 76 cm de diâmetro e pesa 1,25 kg..

Nesta modalidade, os atletas deficientes visuais das classes B1, B2 e B3 competem juntos. Todas as classificações são realizadas por meio da mensuração do melhor olho e da possibilidade máxima de correção do problema. Todos os atletas, independente do nível de perda visual, utilizam uma venda durante as competições para que todos possam competir em condições de igualdade.

B1 – Cegos totais ou com percepção de luz, mas sem reconhecer o formato de uma mão a qualquer distância

B2 – Atletas com percepção de vultos

B3 – Atletas que conseguem definir imagens

São Paulo goleia o Inter no jogo de ida da semifinal do Brasileiro Feminino Sub-18

0
Giovaninha fez três dos cinco gols do time paulista (Crédito: Adriano Fontes/CBF)

Rafael Passos

Giovaninha foi o destaque da partida com três gols marcados

Giovaninha marcou três gols no primeiro jogo da semi do Brasileirão Sub-18
O São Paulo largou em vantagem na semifinal do Campeonato Brasileiro Feminino Sub-18. Nesta quinta-feira (2), em duelo disputado no estádio Marcelo Portugal (CFA Laudo Natel), em Cotia, as Soberaninhas golearam as Gurias Coloradas por 5 a 1, no jogo de ida da penúltima etapa do torneio. o time foi goleado por 5 a 1 pelo São Paulo. Os destaque do jogo foi Giovaninha marcou três gols. Milena e Paola completaram a goleada. Lívia descontou para as gaúchas.

Com a goleada, as Tricolores podem até empatar ou perder por três gols de diferença que se classificam à final. Já as Coloradas precisarão de um placar de 4 a 0 para levar a decisão da vaga para os pênaltis. Cinco ou mais gols de diferença para garantir a classificação no tempo normal. A partida de volta acontece na próxima quinta-feira (9), às 15h30, no Sesc Campestre, em Porto Alegre.

Os gols da equipe paulista saíram após a metade do primeiro tempo, com destaque para Giovaninha. A atacante abriu o marcador com três gols em sequência, aos 28, 30 e aos 34 minutos. Já com a vantagem, o São Paulo voltou para o segundo tempo pressionando. O quarto gol foi anotado aos 14 minutos, por Milena. Menos de 10 minutos depois, a goleada foi ampliada: 5 a o, com Paola. Nos acréscimos da etapa final, o Inter conseguiu marcar com Lívia, que diminuiu o prejuízo alvirrubro.

Ficha técnica:
São Paulo 5 x 1 Internacional
Local: Estádio Marcelo Portugal (CFA Laudo Natel), em Cotia (SP).
Árbiitra: Adeli Mara Monteiro (SP).
Auxiliares: Amanda Pinto Matias (SP) e Juliana Vincentin Esteves (SP).
Quarta árbitra: Mariana Nanni Batalha (SP).
Gols: Giovaninha, aos 28′ 1°T, 30′ 1°T e 35’ 1ºT, Milena, aos 13’ 2ºT, e Paola, aos 22’ 2ºT (SPFC); Livia, aos 45’ 2ºT (INT).
Cartão amarelo: Milena (SPFC).
São Paulo: Marcelle; Ingrid, Giovanna, Alves e Ravena (Regina); Joyce, Duda e Carol (Raissa); Giovaninha (Paola), Milena e Duda Rodrigues. Técnico: Thiago Viana.

Internacional: Gabi Barbieri; Livia, Gabi Bortolon (Guta), Duda Flores e Liriel; Teté (Ju Romanelli), Kamilla (Maranhão), Mai (Berchon) e Maju; Mileninha (Carol Gil) e Loirão. Técnico: Fábio Sanhudo.

Debaixo de chuva, Brasil vence Marrocos e vai à final do Futebol de 5

0
O Brasil vai em busca de seu quinto ouro paralímpico (Crédito: Tokyo 2020 Paralympic Games/Reprodução)

Rafael Passos

Com muita chuva e gol contra, Brasil superou Marrocos para ir à final pela quinta vez

O Brasil está classificado para a final do torneio de futebol de 5 dos Jogos Paralímpicos de Tóquio. Na manhã (horário de Brasília) desta quinta-feira (2), no Aomi Urban Sports Park, na capital japonesa, a seleção brasileira precisou superar as dificuldades impostas pela chuva e pela equipe de Marrocos para ir à final pela quinta fez na história. O tetracampeões paralímpicos venceram a equipe africana por 1 a 0 com um gol contra de Inad Berka, a 12 minutos do fim do jogo, pela semifinal.

A decisão será contra a Argentina no próximo sábado (4), às 5h30min (horário de Brasília). Na outra semifinal, os argentinos venceram a China por 2 a 0 e garantiram a classificação para a decisão. O clássico sul-americano será uma reedição da final dos Jogos Paralímpicos de 2004, em Atenas, na primeira edição do torneio de futebol de 5 nas Paralimpíadas. Na final, Brasil e Argentina foram para a disputa de pênaltis, onde a seleção verde e amarela venceu e conquistou seu primeiro ouro. Nas três edições seguintes da categoria só deu Brasil: Pequim-2008, Londres-2012 e Rio de Janeiro-2016.

Para chegar até a semifinal, o Brasil venceu todos os quatro ogos que disputou. Foram 12 gols a favor e nenhum sofrido. Já a Argentina também venceu todos os seus duelos. Marcou nove gols e levou um.

Fase de classificação

Resultados da 1ª rodada do Grupo A:

Brasil 3 x 0 China
Nonato (2x)
Cássio Reis

Japão 3 x 0 França
Kawamura (2x)
Kuroda

Resultados da 2ª rodada do Grupo A:

Brasil 4 x 0 Japão
Ricardinho (2x)
Nonato
Tiago Paraná

China 1×0 França
Zhu

Resultados da 3ª rodada do Grupo A:

França 0 x 4 Brasil
Jardiel (2x)
Nonato

Japão 0 x 2 China
Zhu (2x)

Resultados da 1ª rodada do Grupo B:

Argentina 2 x 1 Marrocos
Maximiliano Espinillo (2x) (ARG)
Snisla Zouhair (MAR)

Espanha 1 x 0 Tailândia
Martín Gaitán

Resultados da 2ª rodada do Grupo B:

Tailânda 0 x 2 Marrocos
Snisla Zouhair (2x)

Espanha 0 x 2 Argentina
Maximiliano Espinillo (2x)

Resultados da 3ª rodada do Grupo B:

Argentina 3 x 0 Tailânda
Nicolás Veliz
Ángel Deldo García
Maximiliano Espinillo

Marrocos 1 x 1 Espanha
Zouhair Snisla (MAR)
Antonio Martín Gaitán (ESP)

Semifinais

Brasil 1 x 0 Marrocos
Inad Berka (contra)

China 0 x 2 Argentina
Maximiliano Espinillo (2x)

Ficha Técnica:
Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 – Futebol de 5 – Semifinal
Brasil 1 x 0 Marrocos
Local: Aomi Urban Sports Park, em Tóquio (Japão).
Árbitro: François Carcouët (FRA).
2° Árbitro: Urabe Yasushi (JPN).
3° Árbitro: Rafael González (MEX).
Timekeeper: Andrew Page (GBR).
Scorer: Lúcio Morgado (BRA).
Gol: Inad Berka (contra), aos 28´.

Brasil
Titulares:
1 – Luan
7 – Jefinho
8 – Nonato
9 – Tiago Paraná
10 – Ricardinho

Substitutos:
12 – Matheus (GK)
4 – Damião
5 – Cássio Reis
6 – Jardiel
11 – Guegueu

Guia (chamador): Edson Gomes Marinho Junior
Técnico: Fábio Ribeiro de Vasconcelos

Marrocos
Titulares:
1 – Samir Bara (GK)
4 – Kamal Boughlam
5 – Inad Berka
8 – Elhabib Ait Bajja
9 – Zouhair Snisla

Substitutos:
12 – Abdellali Ait Al Haken (GK)
3 – Houssam Ghilli
6 – Said El-Mselek
7 – Ayoub Hadimi
10 – Abderrazak Hattab

Guia (chamador): Said Himi
Técnico: Driss El Mountaqi (MAR)

Em uma jogada de Jefinho, a bola desviou em Berka, que mandou a bola contra as suas próprias redes (Crédito: Tokyo 2020 Paralympic Games/Reprodução)

Saiba mais sobre o futebol de 5

O futebol de 5 é exclusivo para cegos ou deficientes visuais. As partidas, normalmente, são em uma quadra de futsal adaptada, porém, desde os Jogos Paralímpicos de Atenas 2004, também têm sido praticadas em campos de grama sintética. O goleiro tem visão total e não pode ter participado de competições oficiais da Fifa nos últimos cinco anos.

Junto às linhas laterais, são colocadas bandas que impedem que a bola saia do campo. Cada time é formado por cinco jogadores (um goleiro e quatro na linha). Diferentemente de um estádio convencional de futebol, as partidas de futebol de 5 são silenciosas, em locais sem eco. O jogo tem dois tempos de 25 minutos e intervalo de 10.

A bola tem guizos internos para que os atletas consigam localizá-la. A torcida só pode se manifestar na hora do gol. Os jogadores usam uma venda nos olhos e, se tocá-la, cometerão uma falta. Com cinco infrações, o atleta é expulso de campo e pode ser substituído por outro jogador. Há, ainda, um guia (chamador) que fica atrás do gol adversário para orientar os atletas so seu time. Ele diz onde os jogadores devem se posicionar em campo e para onde devem chutar. O técnico e o goleiro também auxiliam em quadra.

Brasil bate a Lituânia e se classifica à final do goalball masculino nas Paralimpíadas

0
Parazinho marcou seis gols na vitória que levou o Brasil à final (Crédito: Tokyo 2020 Paralympic Games/Reprodução)

Rafael Passos

Seleção brasileira, bicampeã mundial, lutará pelo ouro contra a China às 7h30 desta sexta-feira

O Brasil venceu a Lituânia e se classificou para a final dos Jogos Paralímpicos de Tóquio no goalball masculino. O time brasileiro, atual bicampeão do mundo venceu, a equipe europeia, atual medalha de ouro paralímpica, pela semifinal disputada na manhã desta quinta-feira (2), pelo horário de Brasília, por 9 a 5. Esta foi a segunda vitória da equipe treinada por Alessandro Tosim sobre os lituanos no Japão. Na estreia da competição, os sul-americanos atropelaram os adversários por 11 a 2.

Na partida disputada no Makuhari Messe Hall, em Chiba, Parazinho marcou seis gols. Leomon Moreno anotou dois gols, e Romário Marques fechou o escore para o Brasil. Pavliukianec, duas vezes, Jonikaitis, Pazarauskas e Zibolis anotaram os tentos da Lituânia.

A final será contra a China, nesta sexta-feira (3), às 7h30 (de Brasília). O chineses superaram os Estados Unidos por 8 a 1 na outra semifinal. O resultado em Tóquio já iguala a melhor campanha do Brasil no goalball masculino dos Jogos Paralímpicos. Nos jogos de Londres-2012, o ouro escapou após perder a decisão para a Finlândia por 8 a 1. Na Rio-2016, o time verde, amarelo, azul e branco foi derrotado na semifinal para os Estados Unidos por 10 a 1 e venceu a Suécia por 6 a 5 na disputa pelo bronze.

Nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, o Brasil chega à final após fazer uma campanha de seis jogos, com cinco vitórias e uma derrota. Na estreia da fase de grupo teve vitória por 11 a 2 sobre a Lituânia. No segundo compromisso, os Estados Unidos ganharam por 8 a 6. Para encerrar a etapa de classificação fez 10 a 4 na Argélia e 8 a 3 no Japão. Os anfitriões venceram o Grupo A nos critérios de desempate e a seleção brasileira ficou em segundo. Nas quartas de final, a equipe brasileira venceu a Turquia por 9 a 4.

Leomon Moreno marcou dois gols, em jogo válido pela semifinal (Crédito: Tokyo 2020 Paralympic Games/Reprodução)
Romário guardou um gol contra a Lituânia, pela semifinal (Crédito: Tokyo 2020 Paralympic Games/Reprodução)

Histórico do Goalball

O goalball foi criado em 1946 pelo austríaco Hanz Lorezen e o alemão Sepp Reindle, que tinham como objetivo reabilitar veteranos da Segunda Guerra Mundial que perderam a visão. Nos Jogos de Toronto (1976) sete equipes masculinas apresentaram a modalidade aos presentes. Dois anos depois teve o primeiro Campeonato Mundial de Goalball, na Áustria. Em 1980 na Paralimpíada de Arnhem, o esporte passou a integrar o programa paralímpico. Em 1982, a Federação Internacional de Esportes para Cegos (IBSA) começou a gerenciar a modalidade. As mulheres entraram para o goalball nas Paralimpíadas de Nova Iorque, em 1984.

A quadra tem as mesmas dimensões das de vôlei (9m de largura por 18m de comprimento). As partidas são realizadas em dois tempos de 12 minutos (o cronômetro regressivo só é acionado quando a bola está em jogo), com 3 minutos de intervalo. Cada equipe conta com três jogadores titulares e três reservas. De cada lado da quadra, há um gol com 9m de largura e 1,30m de altura. Os atletas são, ao mesmo tempo, arremessadores e defensores. O arremesso deve ser rasteiro ou tocar pelo menos uma vez nas áreas obrigatórias. O objetivo é balançar a rede adversária.

A bola tem um guizo em seu interior para que os jogadores saibam sua direção. O goalball é um esporte baseado nas percepções tátil e auditiva, por isso não pode haver barulho no ginásio durante a partida, exceto no momento entre o gol e o reinício do jogo e nas paradas oficiais. A bola tem 76 cm de diâmetro e pesa 1,25 kg.

Nesta modalidade, os atletas deficientes visuais das classes B1, B2 e B3 competem juntos. Todas as classificações são realizadas por meio da mensuração do melhor olho e da possibilidade máxima de correção do problema. Todos os atletas, independente do nível de perda visual, utilizam uma venda durante as competições para que todos possam competir em condições de igualdade.

B1 – Cegos totais ou com percepção de luz, mas sem reconhecer o formato de uma mão a qualquer distância

B2 – Atletas com percepção de vultos

B3 – Atletas que conseguem definir imagens

Nos pênaltis, Brasil perde para os EUA no goalball feminino e disputará a medalha de bronze nas Paralimpíadas

0
(Crédito: Tokyo 2020 Paralympic Games/Reprodução)

Rafael Passos

Brasil sofreu o gol de empate a 15 segundos do final do jogo e foi derrotado nos pênaltis

O Brasil ficou muito perto de uma medalha inédita no goalball feminino das Paralimpíadas de Tóquio. Nesta quinta-feira, as brasileiras abriram 2 a 0 com gols de Jéssica, mas sofreram o empate dos Estados Unidos a 15 segundos para o fim da semifinal e acabou perdendo nos pênaltis por 3 a 2. As brasileiras ainda vão disputar o bronze com o Japão, nesta sexta-feira, às 1h15 (de Brasília).

Quarto lugar na Rio 2016, o Brasil tem mais uma chance de chegar ao pódio. A seleção brasileira foi bronze no último Mundial e empatou com o Japão na primeira fase.

As americanas haviam vencido o Brasil por 6 a 4 na fase de grupos. Desta vez o Brasil contou com boas defesas da pivô Ana Gabriely Assunção, a Gaby, mas Amanda Dennis fez a diferença no ataque americano.

Nos pênaltis, Moniza e Carol fizeram os gols brasileiros. Czechowski, Dennis e Mason anotaram os gols que deram a vitória aos Estados Unidos.

(Crédito: Tokyo 2020 Paralympic Games/Reprodução)
(Crédito: Tokyo 2020 Paralympic Games/Reprodução)

Com gol de ouro, Brasil vence China e vai à semifinal do goalball feminino

0
Com um gol de ouro, Brasil avançou as semifinais das Paralimpíadas (Crédito: Tokyo 2020 Paralympic Games/Reprodução)

Rafael Passos

Brasil despachou a China, dona de três pratas nas últimas três Paralimpíadas

A seleção feminina do Brasil está na semifinal do goalball nos Jogos Paralímpicos. Na manhã brasileira desta quarta-feira (1°/9), as brasileiras venceram a China por 1 a 0, pelas quartas de final, na Arena Makuhari Messe Hall C.

Na fase semifinal, o Brasil enfrentará os Estados Unidos, que derrotaram o Comitê Paralímpico Russo por 5 a 3. A partida está marcada para a quinta-feira (2), às 7h30min (horário de Brasília). A outra semi será disputada entre Turquia x Japão, que entram em quadra às 3h.

No tempo regulamentar de 24 minutos, as duas equipes ficaram 0 a 0 e foram para a prorrogação. Após os seis minutos, a bola teimou em não entrar e a decisão foi para o golden gol, onde quem fizesse gol avançaria.

Depois de um arremesso das chinesas que acertou a trave brasileira, a equipe verde e amarela teve um pênalti e Carol converteu para classificar o Brasil.

Chú marca gol de letra, Palmeiras vence o Inter e larga em vantagem na semifinal do Brasileiro Feminino

0
Chú marcou único gol da partida disputada no Beira-Rio (Foto: Luiza Moraes / Staff Imagens Woman, CBF)

Rafael Passos

Golaço de letra de Chú colocou as Palestrinas na frente no duelo contra as Gurias Coloradas

O Palmeiras está a um empate da final do Campeonato Brasileiro Feminino A1. As Palestrinas ganharam das Gurias Coloradas por 1 a 0, no estádio Beira-Rio, na noite desta segunda-feira (31), pelo jogo de ida das quartas de final. O gol do triunfo alviverde foi marcado pela atacante Chú de letra, aos 29 minutos do segundo tempo. Após cruzamento rasteiro de Bruna Calderán, a camisa 11 completou de calcanhar, para desviar da goleira Vivi.

O jogo de volta está marcado para o domingo (5/9), às 11h, no Allianz Parque, em São Paulo. Com o resultado, as Palestrinas precisam de um empate para avançar à final do campeonato. As Coloradas precisam vencer por um gol de diferença para levar para os pênaltis ou dois ou mais para se classificar diretamente. Quem avançar, pega o vencedor da semifinal entre Corinthians e Ferroviária (as Brabas venceram o primeiro jogo por 3 a 1 fora de casa).

Foto: Jota Finkler/Internacional
Foto: Jota Finkler/Internacional
Foto: Luiza Moraes / Staff Imagens Woman, CBF
Foto: Luiza Moraes / Staff Imagens Woman, CBF
Foto: Luiza Moraes / Staff Imagens Woman, CBF

Ficha Técnica:
Internacional 0 x 1 Palmeiras
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS).
Árbitra: Rejane Caetano da Silva (FIFA-RJ).
Assistente 1: Lilian da Silva Fernandes Bruno (RJ).
Assistente 2: Andrea Izaura Maffra Marcelino de Sá (RJ).
Quarta árbitra: Andressa Hartmann (RS).
Árbitro de vídeo: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG).
AVAR: Márcia Bezerra Lopes Caetano (RO).
Delegado Local: Vera Lucia Amaral Pavani (RS).
Gol: Chú, aos 29´ 2°T.
Cartões amarelos: Isadora Haas e Rafa Travalão (INT); Camilinha e Ary Borges (PAL).

Internacional: Vivi; Leidi, Bruna Benites, Sorriso e Ari; Isa Haas (Thessa), Djeni, Mariana Pires (Maiara) e Shashá (Wendy); Rafa Travalão e Fabi Simões (Mileninha). Técnico: Maurício Salgado.

Palmeiras: Jully; Bruna Calderan, Agustina, Thais, Tainara (Duda Santos), Katrine, Camilinha (Chú), Julia Bianchi, Ary Borges (Rafa Andrade), Maria Alves e Carol Baiana. Técnico: Ricardo Belli.